A BIBLIOTECA DO MACUA

iiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii



LIVROS & AUTORES QUE A MOÇAMBIQUE DIZEM RESPEITO



AGOSTINHO CARAMELO



Image of fabricante_infernos_capa.jpg


Quando vaidades e a febre do mando ultrapassam quereres e poderes, impera a rebelião.


Image of agostinho_caramelo.jpg
 Desse para onde desse, este livro tinha que ser escrito!
 Aproveitando a minha nova estadia na Metrópole, (1967-68), no propósito de concretizar o meu objectivo recorri a embaixadas, consulados, repartições, agências oficiais, ministérios, directorias. E ao longo de catorze meses amarguei consecutivos não-não-não.
 Mas, aturasse o que aturasse, esta obra havia de ser feita!
 Portanto, precisando de colher elementos indispensáveis, pedi informações a diversas entidades oficiais e particulares. A maioria enfermava da doença comodista que conduz a:
«Não me dá proveito; nada respondo». E quase ninguém ligou importância aos meus pedidos.
 Contudo, nem que fosse necessário adiar a própria morte!, este livro tinha que ser realizado!

 Depois recorri à imprensa e a outros sectores de informação. Pouco lucrei.
 Porém, soprasse o vento que soprasse, esta obra havia de surgir!
 Renitente na adversidade, obstinado na idei
a fixa, esforçei-me e persisti noutras tentativas; em vão.
 Todavia, este livro tinha de aparecer!
 Não regressei a Moçambique tal como de lá saí, não...; transportava pesado fardo com sabor a derrota pelos catorze meses de sucessivas respostas negativas; mas..., como a sorte geralmente ajuda quem luta com boa intenção e sem desfalecimentos, num acaso feliz entre o Cabo da Boa Esperança e Lourenço Marques consegui recolher preciosas informações.
 E porque o livro tinha de acontecer!, fizesse o calor que fizesse ou chovesse como chovesse!,
só descortinava mais esta solução: fechar-me uns meses em cadeia de terroristas.
 Estava pensado e desejado: a obra havia de ser escrita aprofundando estudos e com as informações a obter de elementos antes ligados de alguma forma a movimentos subversivos. Tentei, lutei — e finalmente venci!: ocupei a cel
a 21 do pavilhão 7.


Chama-lhe o autor de "ROMANCE-DOCUMENTO" e com toda a propriedade. Nomes reais, datas reais e locais reais. Romance, talvez 10%, que serve para enquadrar o desenrolar dos acontecimentos e melhor retratar todos os envolvidos. Dar-es-Salam é o centro de tudo.
Agostinho Caramelo é dos maiores escritores que Moçambique já teve com muitas obras editadas e reeditadas, mas que, para a FRELIMO, é como se não tivesse existido.
O que facilmente se entenderá com o correr da leitura. Como também se entenderão muitas das situações ocorridas com e após independência, até aos dias de hoje.
Este volume é o primeiro de uma trilogia. O II abrange os anos de 1963-64. A actuação do régulo Megama, pelo Norte de Moçambique, apenas aflorada nestas páginas, será desenvolvida no III volume.

NOTA:Este primeiro volume em edição de autor tem 541 páginas e foi editado em 1970. Recomendamos a sua impressão(guarde e imprima) para uma leitura mais fácil, como aproveitamos para pedir desculpa dos erros da digitalização que fizemos.


Siglas que aparecem no texto
Image of ball2_red.gif

Primeira Parte -- Ano de 1959 (26 pág. 181kb)
Image of ball2_red.gif

Segunda Parte - Ano de 1960 (38 pág. 412KB)
Image of ball2_red.gif

Terceira Parte -- Ano de 1961 (84 pág. 595kb)
Image of ball2_red.gif

Quarta Parte ---- Ano de 1962 (92 pág. 666kb)
Image of ball2_red.gif


TOP

Edição de 1970

Image of eth-bk.gif