A BIBLIOTECA DO MACUA

iiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii



LIVROS & AUTORES QUE A MOÇAMBIQUE DIZEM RESPEITO



ARMANDO PEDRO MUIUANE



Image of datasedocumentosfrel_capa.jpg


DATAS E DOCUMENTOS DA HISTÓRIA DA FRELIMO, de Armando Pedro Muiuane, tem, nesta sua 3 edição, "revista, melhorada e ampliada" um prefácio de Armando Guebuza, Presidente da República de Moçambique, que, a certo passo afirma:
"A recolha e concatenação do material aqui reunido traduz o facto de que nós moçambicanos temos um rico património para processar, divulgar e partilhar com o resto do Mundo. Traduz igualmente o facto de que nós próprios, e com
a verdade dos factos, podemos escrever a nossa história, a história de Moçambique e do seu brioso Povo."


O MEU COMENTÁRIO

Quando no Prefácio é escrito "e com a verdade dos factos" pergunto-me qual verdade? Apenas a que se tenta passar como "verdade" e que se está a ensinar nas Escolas a uma juventude que cresce na "mentira" dos factos propalados pela FRELIMO.
Apenas me referirei a dois factos: o MASSACRE DE MUEDA e o INICIO DA LUTA ARMADA, no Posto do Chai, logo nas primeiras páginas da obra.
Assim, aqui transcreverei as páginas referentes a estes episódios, bem como o prefácio de Armando Guebuza.

Sobre o "Massacre de Mueda" consulte:
Massacre de Mueda em 16.06.1960

Sobre o "INICIO DA LUTA ARMADA", que, na realidade não foi iniciada pela FRELIMO, consulte:
CHAI 25.09.1964


EXTRACTOS DO LIVRO

PREFÁCIO
Image of bulb_sqr.gif

SOBRE O MASSACRE DE MUEDA
Image of bulb_sqr.gif

SOBRE O INICIO DA LUTA ARMADA
Image of bulb_sqr.gif


Image of armando_muiuane1.jpg
BIOGRAFIA

Armando Pedro Muiuane nasceu a 6 de Junho de 1929 na localidade de Hlehleni, regulado Zuza, distrito de Bilene Macia, actualmente pertencente ao distrito de Chilembene, província de Gaza, filho de pais camponeses Pita Muiuane e Lizi Bazima.
Ao nascer  deram-lhe o nome de Dan, que era o nome de Dan Malungane, pastor da Igreja da Missão Suiça do Guijá,  actual   Igreja   Presbiteriana  de Moçambique, muito amigo de seu pai.
Chegou a Lourenço Marques juntamente com o seu irmão mais velho Alexandre em Junho de 1939 para estudar, tendo-se matriculado na Escola da Munhuana.
Porém continuou os estudos no Colégio Pedro Nunes.
Estudar no colégio requeria então pagar as propinas mensais, o que lhe era oneroso e assim procurou emprego na Imprensa Nacional de Moçambique onde foi admitido como ajudante de revisor em 1 de Agosto de 1950, área que exerce até hoje como revisor da imprensa editorial.
Mas à força de toda a vontade esteve no colégio até no segundo ano. Todavia foi forçado a interromper essa marcha quando ficou preso pela PIDE/DGS, a sanguinária polícia secreta do regime colonial-fascista português, em Janeiro de 1965, com outros nacionalistas ligados à rede clandestina da IV Região Militar da FRELIMO.
Ficou encarcerado durante sete anos nas masmorras da PIDE/DGS. Ao sair quis fazer algo para o seu Partido. Mas fazer o quê? Muitos dos seus colegas estavam fazendo muita coisa que a sua mão não alcançava. Decidiu então falar com o seu inesquecível compadre, o Poeta José Craveirinha, sobre a intenção de editar um livro sobre a trajectória empolgante da FRELIMO de 1960 a 1975- ano da independência de Moçambique. Teve muito apoio moral e material deste seu compadre e do João Reis, na altura administrador da Imprensa Nacional.
Eis então o livro em terceira edição que muitos militantes e simpatizantes da FRELIMO e o povo em geral insistiam que conhecesse a luz do dia. E vem na boa hora, na hora em que se realiza o 9" Congresso deste grande e glorioso Partido Libertador.
Não é uma obra acabada, pois, a história da Frelimo é tão rica e extensa que não se esgotaria nestas páginas. Contudo, principalmente a nossa juventude poderá ter um ponto de referência para a busca do conhecimento sobre a proveniência da nossa soberania e assim melhor fazer as escolhas sobre o futuro do nosso País.
A LUTA CONTINUA!


TOP



Edição de 2006

Image of eth-bk.gif