A BIBLIOTECA DO MACUA

iiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii



LIVROS & AUTORES QUE A MOÇAMBIQUE DIZEM RESPEITO



GENERAIS LUZ CUNHA, KAULZA DE ARRIAGA,BETTENCOURT RODRIGUES e SILVÉRIO MARQUES



Image of vitori01.jpg


Image of luzcunha.jpg
GENERAL JOAQUIM DA LUZ CUNHA    

   Nascido em Faro, em 4 de Janeiro de 1914, onde frequentou a instrução primária e o
curso secundário, o General Joaquim da Luz Cunha é titular de vários cursos nacio-
nais e estrangeiros (todos com altas classificações), designadamente de Engenharia
Militar e Civil; de Estado-Maior; de Altos Comandos; da Escola Superior de
Guerra, de Paris; Curso Superior Interforças Armadas, na Escola Superior de
Guerra, de Paris; e vários estágios: Operações Anfíbias, em Arzew (Argélia);
Cooperação Aeroterrestre na Alemanha; Operações aerocombinadas, em Baden-Ooz
(Alemanha), etc. Promovido a General em 1970, quatro anos depois, em 1974, sobe ao posto de General de quatro estrelas.
Das principais colocações e missões destacam-se as seguintes: Ministro do Exército; Professor e Director dos Cursos de Estado Maior no IAEM; Adido Militar, Naval e Aeronáutico no Brasil; Director da Arma de Engenharia; Professor do Curso de Altos Comandos, no IAEM; Comandante da Região Militar de Angola; Comandante-Chefe das Forcas Armadas de Angola e Chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas.
Principais condecorações nacionais e estrangeiras: Medalha de Mérito Militar de 3.a classe; Comenda da Ordem Militar de Aviz; Medalha de Prata de Serviços Distintos; Grã-Cruz da Ordem Militar de Cristo; Medalhas de l.a e 2.a classe de Mérito Militar, com distintivo branco, de Espanha; Medalha de Prata da Ordem de Mérito Militar Santos-Dumont, do Brasil; Grande Oficial da Ordem de Mérito Militar do Brasil; Grã-Cruz com estrelas e banda da Ordem de Mérito Militar, da República Federal Alemã, e Grã-Cruz da Ordem do Cruzeiro do Sul, Brasil.
Em 30 de Abril de 1974 foi passado à Reserva.


Image of kaulza.jpg
GENERAL KAÚLZA DE ARRIAGA

Nascido no Porto - sendo de origem açoreana pelo lado paterno - Kaúlza de Arriaga fez naquela cidade os seus estudos universitários, ingressando depois na Escola de Guerra, hoje Academia Militar, onde se formou em Engenharia. Mais tarde, distinguiu-se nos Cursos de Estado-Malor e de Altos Comandos do Instituto de Altos Estudos Militares onde veio a ser professor de Estratégia. Nesta qualidade, tornou-se especialista de estratégia nuclear e de estratégia da guerra subversiva. Foi Subsecretário e Secretário de Estado da Aeronáutica. Então construiu a Força Aérea e as Tropas Paraquedistas. Foi também Presidente da Junta de Energia Nuclear. Nesta posição, promoveu a realização de estudos exaustivos sobre a instalação de centrais núcleo-eléctricas em Portugal.
Desempenhou as funções de Comandante das Forças Terrestres de Moçambique e de Comandante-Chefe do respectivo Teatro de Operações. É com base na experiência do exercício destes altos cargos que o General Kaúlza de Arriaga participa na realização deste livro.
Desempenhou diversas missões em Washington, Bruxelas, Paris e Otawa, relacionadas com o Tratado do Atlântico Norte, assim como nos EUA, referentes à reorganização da indústria militar de munições. Representou Portugal nas negociações luso-norte-americanas, relativas ao acordo dos Açores de que foi co-signatário. Visitou oficialmente a França e a Alemanha e ainda Angola, Moçambique, Cabo Verde e Guiné, como Secretário de Estado da Aeronáutica. Chefiou Delegações Portuguesas às Conferências Gerais da Agência Internacional de Energia Atómica, às Reuniões do Conselho de Governadores da mesma AIEA e às da Sociedade Europeia de Energia Atómica. Visitou também oficialmente a Inglaterra, a Espanha e a África do Sul como Presidente da Junta de Energia Nuclear, assim como os Estados Unidos da América, a título de convidado especial do Governo deste País.
Quando deixou o Alto Comando de Moçambique, as Tropas dirigiram-lhe uma mensagem que termina do seguinte modo: "Talvez por isso - pela maneira de ser Chefe, pelo jeito de entender a alma de que somos alma e o sangue de que somos sangue, possa agora o General Kaúlza de Arriaga contar com um amigo em cada um dos que teve sob o seu Comando. Talvez por isso - mas não só. S que não é impunemente que se é grande, de muito alto."
Detido no "28 de Setembro", esteve preso durante 16 meses sem culpa formada. Na prisão, houve-se com invulgar dignidade, recusando mesmo a liberdade condicionada. A única explicação para a sua arbitrária e longa prisão é a de que as forças antidemocráticas, que então predominavam, procuravam neutralizar um dos poucos homens capazes de se opor à sovietização de Portugal.


Image of rodrigue.jpg
GENERAL JOSÉ MANUEL BETTENCOURT RODRIGUES

Nasceu no Funchal em 5 de Junho de 1918. Fez o curso secundário no Liceu de Pedro Nunes, em Lisboa.
Para admissão no Curso de Infantaria da Escola do Exército que terminou em 1939, como primeiro classificado, frequentou os preparatórios militares na Faculdade   de   Ciências   da   Universidade   de   Lisboa.
Concluiu o Curso de Estado-Maior com a classificação de Distinto em 1951 e, 17 anos mais tarde, após a frequência do Curso de Altos Comandos, no qual teve a classificação de Muito Apto, é promovido a Brigadeiro. Em 1972 é General.
Principais missões e colocações: Professor e Director dos Cursos de Estado-Maior; Chefe de Estado -Maior do Quartel-General da Região Militar de Angola; Comandante da Zona Militar Leste de Angola e Comandante-Chefe e Governador da Guiné. Foi também Comandante do Regimento de Artilharia 1. Exerceu, ainda, as funções de Adido Militar tar e Aeronáutico junto da Embaixada de Portugal em Londres e foi Ministro do Exército, de 1968 a 1970. Foi nomeado para o Centro de Comando e Estado-Maior do Exército Americano, no Com-mand and General Staff College Fort Leavenworth, Kansas (1953). .
Condecorações: Medalha de Ouro de Valor Militar com palma; Medalha de Ouro de Serviços Distintos com palma e Grã-Cruz da Medalha de Mérito Militar.
Por despacho da Junta de Salvação Nacional, passou à situação de Reserva em 14 de Maio de 1974.


Image of silveri.jpg
GENERAL SILVINO SILVÉRIO MARQUES

Nasceu na Nazaré, em 23 de Março de 1918. Frequentou o Liceu de Camões, em Lisboa, e obteve os preparatórios de Engenharia na Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa.
Admitido na Escola do Exército, concluiu o curso de Engenharia Militar, classificando-se em primeiro lugar. Ingressou no corpo de Estado-Maior em 1950. Cumpriu missões militares em França, Inglaterra e Itália. Concluiu o Curso de Altos Comandos em 1968 com a classificação de Muito Apto. Principais missões e colocações: Professor catedrático, de Organização e Táctica de Engenharia, na Escola do Exército; Governador de Cabo Verde de 1958 a 1962; Governador-Geral de Angola de 1962 a 1966; Director Interino da Arma de Engenharia e do Serviço de Fortificação e Obras Militares; 2. Comandante da Região Militar e Adjunto do Comando--Chefe, em Moçambique; Professor do Instituto Superior Naval de Guerra; Director dos Serviços de Instrução do Exército e Vogal do Conselho Superior Ultramarino.
Após o 25 de Abril foi nomeado Governador-Geral de Angola, tendo sido, historicamente, o último governador português do território.
Condecorações: Medalha de Ouro de Serviços Distintos com palma; Medalha do Mérito Militar de 2." classe; Comenda da Ordem Militar de Aviz; Grande Oficialato da Ordem do Império; Medalha de Ouro de Serviços Distintos do Ultramar e Comenda da Ordem do Mérito Militar do Brasil.
Foi passado à situação de Reserva em 1975.


Transcrição de 2 capítulos

RAZÃO DESTE LIVRO
Image of boton003.gif

II. PANORAMA ECONÓMICO-SOCIAL
Image of boton003.gif

Edição de Abril de 1977

TOP

Image of eth-bk.gif